Como fazer passeios com guias pela Europa sem gastar um centavo?

Muitas cidades européias possuem história no meio de suas ruas. Seja a forma que um telhado foi feito, o porque de uma praça estar ali ou um famoso do passado que frequentava algum lugar específico.

Todos fatos históricos que você consegue descobrir pesquisando antes de visitar um determinado lugar, ou por guias que você contrata para conhecer a cidade.

Ou, uma excelente opção, é fazer os passeios grátis que existem em diversas cidades da Europa. Sim, custo zero.

Mas como isso funciona?

10 meses na Irlanda: como se aventurar no desconhecido é o melhor modo de se descobrir

Essa entrevista de hoje é interessante não só para as pessoas que têm interesse pela Irlanda, mas também por aqueles que passaram momentos de suas vidas que se sentiam um pouco sem direção. E que acabaram descobrindo, que o melhor jeito de se entender e encontrar seu caminho, era se perder pelo mundo. Viver o inesperado e sair da zona de conforto.

O Victor, que contou sua história para nós, é um exemplo de como se aventurar pelo mundo pode ser a melhor coisa que você pode fazer por você. Confira:

Ela é mulher e viajou sozinha. Sabe o que aconteceu? Foi incrível!

Um dos grandes dilemas que mulheres enfrentam no mundo das viagens é o receio de viajar sozinha. Sinceramente, o mundo precisa se modernizar para acabar com qualquer medo que uma mulher tenha de fazer algo por conta própria. Liberdade é sim um direito de todos, assim como o respeito é devido ao próximo.

Nossa entrevista hoje é com a Mariana, que viveu a incrível experiência de passar um mês sozinha por lugares incríveis na Europa. Se inspire um pouco com essa jornada:

3 semanas de moda no Instituto Marangoni na Itália

Fundado em 1935 em Milão, Itália, e reconhecido por sua excelência mundo afora o Instituto Marangoni tem sua essência no estudo de design e moda. Como eles mesmo dizem:

Em um projeto social, ele foi para Budapeste dar aula para crianças pequenas

Jovens que tem a coragem para ir para locais diferentes e trabalhar em um projeto social, normalmente possuem boas histórias para contar. Com valores especiais, conhecimento e aquela vontade de fazer a diferença.

Hoje conversamos com o Zeg, que ficou do mês de Janeiro até o mês de Março em Budapeste, na Hungria, trabalhando em uma escola multilíngue com crianças de 3 a 5 anos de idade.