Como escrever cartas de recomendação e motivação para faculdades no exterior

Grande parte das universidades no exterior, especialmente Estados Unidos e Canadá, pedem cartas de motivação e de referência durante o processo de admissão. Mas afinal de contas, o que é que precisamos escrever nelas?

Começando pela carta de referência:

Essa carta não é você quem vai escrever. A sua função aqui é conversar com um professor, mentor, diretor ou ex-chefe, para que eles escrevam uma recomendação sua.

O que pode acontecer quando pedir por esse favor, é de que a pessoa não saiba o que deve falar na carta, por isso é importante você saber para poder explicar.

O ideal, é que a pessoa comece falando um pouco sobre ela e como conviveu com você: Por exemplo: “Sou professor de matemática e dei aula para Maria durante os últimos 3 anos.” Isso mostra para a faculdade que você está aplicando, o quanto esse professor te conhece e, assim, passa confiança no que diz.

Após essa introdução, é hora de focar em você aluno. Pontos importantes para se falar:

  • Dedicação nos estudos
  • Atenção em aula
  • Notas (lembrando que a carta precisa estar a seu favor, então fale bem das notas ou não fale)
  • Relacionamento com alunos e professores
  • Conquistas (algum trabalho que tenha se destacado)
  • Performance na escola
  • Habilidades que você possua e sejam notadas em sala de aula
  • Como encara desafios
  • E como o professor acha que você merece entrar na faculdade/curso que está aplicando

E para finalizar, seria bom reafirmar que o professor indica você como um bom aluno e se (caso o professor esteja disposto) permitir contato para mais perguntas.

Carta de motivação

Essa carta nada mais é do que uma apresentação pessoal onde você explica sua motivação ao aplicar para alguma faculdade ou curso, e como você acha que se identifica com isso tudo.

O fator mais importante desta cara não é o que você escreve mas sim como escreve. Então veja algumas coisas que precisa lembrar ao escrever sua carta:

  • Mantenha o foco: Crie um ponto para defender e se mantenha atento a ele. Pense se você quer explicar o porque acha que seria um bom advogado (por exemplo), ou mostrar que sabe lidar bem com desafios ou que tem alguma habilidade que o contribua a ser o profissional que busca ser. Escreva sobre você como se já fosse um advogado ou médico ou o que tiver escolhido.
  • Seja coerente: pense na sua carta como um todo e veja se tudo está coerente. Escreva de forma simples e organizada, pois é essa a imagem que estará passando para quem estiver lendo. E depois, peça para que alguém leia o que foi escrito para verificar se há clareza e sentido.
  • Seja interpretativo: Pense na pessoa que está lendo a sua carta e imagine como ela vai reagir/entender a tudo o que diz. Lembre que essa pessoa não te conhece e que a sua carta está junta a centenas outras que buscam a mesma vaga que você. Então aproveite esse espaço e não repita informações que já falou em outros documentos da aplicação. Forneça respostas diretas ao que imaginar que o leitor possa pensar e questionar sobre você.
  • Seja específico: Não existe porque citar pontos ou fatos se não puder defendê-los e/ou explicá-los. Por exemplo, use referências para outras partes da aplicação, como: “como podem verificar no meu histórico escolar…”. Ou fale sobre experiências passadas ou conquistas onde pode contar um ocorrido.
  • Seja pessoal: Pense que a sua carta substitui uma entrevista pessoal. Conte sobre seus interesses, se fez trabalho voluntário, quando passou por dificuldades ou não se sentiu confortável com alguma situação. Passe o tipo de pessoa que é e como isso combina com a faculdade e/ou curso que tiver escolhido.

E uma última ideia para qualquer uma das duas cartas, é procurar por exemplos (na internet você encontra) ou sugestões dadas pela própria universidade. As vezes, um exemplo ou algumas dicas te dão a direção que precisa para concluir essa etapa com sucesso.

Veja também:

 

2 Comentários

  1. Renansays:

    Assim, queria saber como eu faço para aplicar para uma universidade no exterior para o curso de psicologia? A carta em si, não é o único requisito, eu teria que fazer uma prova ou algo só tipo, ou existe a possibilidade de aplicar para o curso a apenas com a carta? Não sei se fui claro, espero que tenha entendido. Obrigado!

    • Go Alongsays:

      Olá Renan, tudo bem?
      A carta normalmente é apenas uma pequena etapa para aplicar para uma universidade fora. Cada faculdade possui seus requisitos para o processo de aplicação, por isso não existe apenas uma resposta de como tudo isso funciona. O ideal é você escolher o curso e as universidades que quiser, entrar em contato com o escritório de alunos internacionais e verificar tudo que eles solicitam. Se tiver mais alguma dúvida, nos mande um email contato@goalong.com.br
      Abraços

Deixe um comentário

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked