Buscando o que realmente gostava de fazer, ela foi para a França fazer cursos de cerâmica

Fazer questão de achar algo que te faça feliz é a lição de hoje. Além de uma história super bacana, vivida pela Sofia, que se aventurou por cidades francesas em busca de cursos de cerâmica para desenvolver suas técnicas no ramo e se tornar uma artista talentosa que é hoje.

Veja o que ela nos contou, desde quando começou a se interessar por cerâmica até encontrar os cursos que fez:

Como começou seu interesse por cerâmica?

Fiz administração na ESPM, trabalhei em empresas e agências e percebi que não era o que gostava. Tentei então procurar por outras coisas, fiz um curso de jardinagem e pensei em abrir uma floricultura, mas uma loja com os vasos. Aí que pensei na cerâmica. Comecei a fazer um curso aqui no Brasil, em Fevereiro do ano passado.

E foi assim que me descobri, a jardinagem me levou até onde gostei e resolvi me especializar.

Sobre cerâmica

Existem algumas maneiras diferentes para se trabalhar com cerâmica. Pode ser feito com modelagem, que é feito com a mão, pode ser no molde, onde você coloca argila líquida ou no torno.

Hoje em dia tenho uma marca, a Olive Cerâmica. Fiz cursos aqui no Brasil, mas a técnica mesmo aprendi nos cursos que fiz na França e os que estou planejando fazer.

Em Paris

Fiz o curso em uma escola chamada Ecole de Tournage Augusto Tozzola, era para fica 1 mês mas estendi para 2 meses. Lá a aula era de torno, nosso instrutor, o próprio Augusto Tozzola, nos dava um modelo e você precisava refazer várias vezes até que todos ficassem iguais. Mas para isso precisava desenhar, tirar molde, pesar e ele vai verificando sempre.

IMG_4549
Augusto Tozzola

São 8 tornos na sala, cada pessoa fica em um e ele vai ajudando conforme você vai fazendo o trabalho.

Se as pessoas querem fazer um curso de cerâmica, comece por uma atelier testando muito, porque lá é muito especifico. É necessário muita dedicação, é muito específico.

IMG_4571
Sala.

Em Yves

Fiz o curso de Raku (queima de cerâmica japonesa), com a ceramista Sylvie Robert durante 3 semanas.

Lá a rotina era deliciosa. Chegava por volta das 9 da manhã e começava a praticar. As 11 horas tinha uma pausa para chá durante meia hora e voltávamos a praticar de novo. Depois era hora do almoço, tomávamos um vinho do porto ou whisky com aperitivos, aí voltava a praticar de novo. E de tarde mais uma pausa para tomar um café.

11250203_515474795266760_133448804475495206_n

Para todos os cursos que fiz, era preciso falar francês. Antes de me interessar por cerâmica morei 10 meses em Paris estudando na Sorbonne. Já tinha feito 3 anos de aula de francês antes, mas lá foi onde fiquei fluente, foram os 10 meses só de aulas de francês.

Hoje em dia, aqui no Brasil, Sofia faz suas peças em um atelier. Como pretende viajar para fazer mais cursos, esta esperando voltar para ter seu próprio espaço.

Veja também:

Deixe um comentário

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked