Agradecer também faz parte do processo

As religiões sempre pregaram a necessidade de ser grato e agradecer constantemente pela vida, pelos bens, pelas vitórias. Porém, a ciência também vem provando que a gratidão pode ser muito benéfica para o ser humano, inclusive tornando-o mais feliz. O psicólogo americano Abraham Maslow, muito conhecido na área de Gestão de Pessoas, tendo como base pesquisas com homens e mulheres, se convenceu de que a habilidade de facilmente sentir e expressar gratidão são aspectos vitais para a saúde mental. Em workshops, Maslow ensinou métodos para cultivá-la, como relembrar as alegrias da vida e perceber que nosso tempo aqui na Terra é limitado. Estudiosos da psicologia positiva, como Martin Seligman, também falam sobre a importância da gratidão na busca por uma vida mais positiva e feliz.

Contudo, a abordagem sobre o assunto que mais me chamou atenção e faz uma conexão clara com o Coaching foi a do monge e erudito Irmão David Steindl-Rast. Em sua palestra “Want to be happy? Be grateful” realizada para o TED em 2013, ele inicia o assunto falando que um ponto que ele tem certeza que todos os seres humanos têm em comum, é a vontade de ser feliz. A forma como imaginamos nossa felicidade varia de uma pessoa para outra, mas, cada um de sua forma, todos buscam a felicidade.  Mas, conhecemos um grande número de pessoas que têm tudo para serem felizes e não são. Por outro lado, também conhecemos pessoas que passam por várias adversidades, situações pelas quais nós próprios não gostaríamos de passar, e são profundamente felizes. É surpreendente. Isso acontece, segundo David, porque esse segundo grupo é composto por pessoas gratas. Pois não é a felicidade que traz a gratidão, e sim a gratidão que traz a felicidade.

Quando vivenciamos uma coisa que é valiosa para nós, algo que nos foi dado – você não o comprou, não fez por merecer, não trocou por nada, não trabalhou por isso, você simplesmente ganhou – então você fica agradecido, fica feliz por aquilo ter acontecido. Mas o segredo é não vivenciar isso somente de vez em quando, é viver em gratidão. Fazemos isso estando cientes de que cada momento é um presente, pois todo momento traz com ele uma oportunidade. Podemos nos beneficiar das oportunidades, ou podemos desperdiçá-la. E tirar proveito de toda oportunidade é a chave para a felicidade.

Será que isso significa que podemos ser gratos por tudo? Certamente não. Não podemos ser gratos pela violência, pela guerra, pela opressão, pela exploração. No nível pessoal, não conseguimos ser gratos pela perda de um amigo, pela infidelidade, pela perda do emprego. Mas podemos ser gratos pela oportunidade dada em cada um desses momentos. Mesmo quando somos confrontados com algo terrivelmente difícil, podemos nos levantar, responder à oportunidade que nos é dada e agradecer por ela. Pode-se observar nesse ponto o link com o positivismo. Temos que olhar os acontecimentos sempre pensando no que ele nos trouxe de positivo, como saímos mais fortes e mais desenvolvidos de cada situação.

O monge David, nos ensina um método para ficarmos atentos às nossas oportunidades: “Pare. Olhe. Siga” Passamos pela vida com pressa e perdemos a oportunidade porque não paramos. Temos que parar. Temos que nos aquietar para poder avaliar e aproveitar as oportunidades. Outro método utilizado pelo Coaching é todo dia, no final do dia, parar e refletir sobre o que aconteceu durante as ultimas 24 horas, definindo três situações pelo qual devemos agradecer. Assim temos outra chance de enxergar as oportunidades “escondidas” no nosso dia-a-dia.

Portanto, agradecer nos leva ao crescimento e desenvolvimento, pois enxergamos novos caminhos e oportunidades. Ser uma pessoa grata nos ajuda a exercitar atitudes mais positivas, seja em nossa vida cotidiana ou em nosso trabalho. Agradecer nos faz não só valorizar mais o que possuímos e o que acontece nas nossas vidas, como evita que a ansiedade seja alimentada, além de ajudar a cultivamos o bom humor e a paciência necessária para manter relacionamentos saudáveis e felizes.

image5-11Professional and Self Coach pelo Instituto Brasileiro de Coaching (IBC) com as seguintes certificações internacionais: Behavioral Coaching Institute (BCI), European Coaching Association (ECA), Global Coaching Community (GCC) e International Association of Coaching Institute (ICI). Licenciada como Analista Comportamental e Analista 360o pelo Instituto Brasileiro de Coaching (IBC).

Bacharel em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ). MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC – RJ. Pós-Graduada em Dinâmica dos Grupos pela Sociedade Brasileira de Dinâmica dos Grupos. Especialização em Recursos Humanos pela Fundação Dom Cabral.

Atua há mais de 12 anos na área de Recursos Humanos, com ampla experiência como Business Partner de RH e como especialista nas áreas de Remuneração e Treinamento e Desenvolvimento.

Email para contato: marina.tourinho@gmail.com

Deixe um comentário

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked