2 anos em Nova York estudando estamparia e curtindo o estilo de vida da cidade

Estamparia e superfícies.

Um curso muito específico, certo? E muito interessante!

Buscando isso, falamos hoje com a Alessandra, que morou 2 anos (2011-2013) em Nova York fazendo o curso de Textile/Surface Design na FIT (Fashion Institute of Technology).

Com um dom apurado para desenhos, moda e arte, a Alessandra buscava um curso desses no Brasil, mas só encontrou cursos digitais que ensinavam tudo pelo computador. Seu lado artístico buscava algo mais artesanal, foi assim que chegou até a FIT.

Nesse curso ela aprendeu a tecer, a serigrafar, usar photoshop e illustrator, também a aprimorar sua técnicas de desenho, já que estes eram feitos a mão e muito mais.

Veja o que mais ela nos contou:

Como você descobriu o curso? 

Procurando pela internet.

Como você se inscreveu?

Foram algumas etapas que tinham datas para entregar. Primeiro eles me passaram um programa onde eu precisava preencher várias coisas, tudo sobre mim.

Depois disso eles pedem um portfólio, com umas 10 imagens de trabalhos seus e mais um que eles pedem para fazer com um tema específico.

Também precisei fazer o TOEFL.

Concluídos todos esses processos precisava esperar a carta de aceitação.

Como achou moradia?

Aluguei um apartamento que ficava a uma quadra de distância da faculdade. Consegui a indicação de uma corretora que me ajudou com isso.

IMG_1815
Vista de casa

Como era seu dia a dia? 

Minha rotina mudou um pouco de semestre para semestre. No começo tinha aula todo dia, das 9h às 17h, com uma hora de almoço.

Conforme você avança no curso, os horários de aula diminuem um pouco para quem quiser estagiar.

Estagiei um pouco, mas no final do curso sai porque não estava dando conta de tanto trabalho para a escola.

Durante o verão, ía bastante no Hudson River Park para correr, frequentava uma academia, a Equinox, onde fazia pilates e yoga.

IMG_1786
Hudson Park

Nos dias mais tranquilos tentava fazer uns passeios maiores como um museu ou ir no Chelsea.

Logo que mudei saía bastante para jantar a noite, mas depois comecei a sair mais nos finais de semana.

O que fazia nos finais de semana?

Normalmente ía em algum lugar para comer brunch, passeava no Central Park (era um pouco longe de casa, por isso deixava para ir aos finais de semana).

IMG_1784
Central Park

Bastante balada e sempre em lugares legais.

Ía muito em shows! Gosto bastante de Indie Rock, então sempre ía em shows em piers ou rooftops, não necessariamente de bandas famosas. Ou ía no Webster Hall, que é uma casa de shows que todo dia tinha algo legal.

Existe um programa do Moma para jovens que você paga uma certa quantia por mês para ser convidado a visitar galerias, ir em festas de inauguração e coisas do ramo da arte. Tinha uma amiga que participava, então sempre sabia de algumas coisas legais e diferentes que aconteciam.

IMG_1827
Festa Moma

Acabei viajando muito pouco porque tinha aula até sexta-feira a tarde, ficaria muito corrido.

E gostava de aproveitar a cidade.

Um desafio? 

A vida durante o inverno ou dias de chuva. Era muito complicado, não dava para sair de casa.

FullSizeRender
Inverno em NY!

A cidade de NY também é um pouco estressante, principalmente por não estar só de turista lá. Às vezes precisava se acalmar um pouco e não sair.

De vez em quando ficava um pouco sozinha, minha turma da faculdade era mais de americanos, da própria região de NY e arredores. Eles já eram enturmados, então não sentiam a necessidade de se abrir um pouco mais com outras pessoas.

O que mais gostou? 

Da vida nova-iorquina e dos museus!

Ía aos sábados e domingos em exposições novas, shows e restaurantes diferentes.

Gostei muito da faculdade, tinham uma infra-estrutura ótima.

11046973_937705539582670_2266882298296157357_n
Kit da formatura

Eles são muito sérios, senti uma grande diferença em comparação com o Brasil. Todos os professores eram excelentes, cada um muito bem sucedido naquilo que ensinava. Além disso, a escola tinha seu próprio museu e uma mega biblioteca.

E caso precisasse, o Health Center da faculdade era muito bom. O que ajudava bastante, já que não tinha nenhuma referência de médico lá.

Dicas úteis?

Uber – principalmente no inverno, quando fica mais difícil de conseguir taxi na rua.

11015064_937707369582487_676015615778194137_n
Formatura

Veja também:

Deixe um comentário

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked