11 coisas que aprendi morando na Inglaterra

Alguns aprendizados em uma viagem ou intercâmbio podem marcar bastante, principalmente quando diferentes da nossa própria cultura. A Thais, que morou na Inglaterra, nos contou sobre 11 fatos que se destacaram para ela enquanto viveu fora. Confira:

1- Respeito

A cultura dos ingleses se baseia no respeito, existem regras e elas são cumpridas.

  • Todos sabem que devem ficar no lado direito da escada rolante no metrô.
  • Todos os ônibus tem horários tão precisos que chega a ser ridículo. 11:23, 14:47, porque não 11:25, 14:50? E acredite eles chegam exatamente nesse horário e não adianta estar bem próximo ao ponto e correr gritando para segurar: porque os motoristas não seguram.

No começo eu ficava irritada, vivia perdendo o “bus” mas depois aprendi que não é justo ele segurar para uma pessoa e atrasar todo trajeto. Porque afinal ele deveria chegar no próximo ponto as 11:33.
Cansei de ficar para fora da sala pois perdia o “bus” por 30 segundos e tinha que esperar por mais 13 min até o próximo passar. Chegava 7 min atrasada na aula e pronto: tinha que ficar fora até o próximo horário.
É difícil para um brasileiro se acostumar com isso. Mas lá é assim, funciona de um jeito invejável e você precisa se adaptar. Nem tente usar aquela conhecida frase: “Mas no Brasil não fazemos isso.” , não adianta.
Você que está fora, então é você que deve se adaptar.

pulga1

2- Patriotismo

Olha, se tem uma coisa que eu admiro é o patriotismo dos ingleses – falo isso sem muita moral pois eu mesma sou zero patriota – mas acredito que todos deveríamos ser no Brasil. É lindo ver o como eles amam ser ingleses, o como a bandeira do Reino Unido é item de moda e desfilam pela cidade com camisetas e guarda-chuvas mostrando-a (sobre os guarda-chuvas: leia o adendo ao final desse item). Até a rainha é item de moda, cansei de ver pessoas andando com camiseta com o rosto da querida Beth.

Inclusive lembro de um dia que estava passando na frente do Palácio de Buckingham e estava completamente abarrotado de gente – perguntei ao guarda o que estava acontecendo e ele disse que a Rainha havia acabado de passar por lá (sim, eu perdi isso por 5 min =/).

Fiquei inconformada com a zona que as pessoas fizeram para ver a rainha, é como e fosse o Papa para os católicos, ou ironicamente, o Pelé para nós.

PS: sobre os guarda-chuvas com bandeira da UK: não compre! Eu tive 3 em 6 meses e todos quebraram. Fora que na Inglaterra venta enquanto chove e você nunca vai conseguir usá-lo, a não ser que queira ser a piada da rua com o guarda-chuva virado ao contrário (risos)

pulga2
(esse aqui tá?)

3- Chá Inglês

Sim gente, não é brincadeira, o horário do chá existe.

No primeiro mês fiquei em uma família e antes mesmo de me mostrarem meu quarto, eles mostraram como funcionava a garrafa elétrica que servia para esquentar a água do chá.

Nunca fui muito fã, mas lá aprendi a tomar. Amei, comprei a caixa de 365 saquinhos de chá para trazer para o Brasil (sugestivo o número né? mas no ano bissexto deve estragar toda conta) e toda vez que alguém vai para Inglaterra peço para trazerem.

Resumindo: O negócio é bom mesmo e tão tradicional quanto a pint de Guinness (que vem da Irlanda mas faz parte da cultura inglesa também).

pulga3

(Bebida da vida <3)

4- Royal Mail

Ahhhh Royal Mail, o que falar de você?

Já vi aqueles vídeos dizendo qual era o maior conselho que você poderia dar a alguém: use filtro solar. Bom, o meu seria: não envie nada pelo Royal Mail, a não ser que você queira perder algo.

Minha mãe me mandou um documento importante para assinar e enviar novamente ao Brasil, o documento se perdeu pelo mundo.

Sabendo da fama de demora e perdas do correio inglês, eu enviei um cartão de aniversário para o meu irmão no início de agosto – sendo que ele faz aniversário 4 de setembro – e adivinha?

O cartão chegou depois que eu voltei para o Brasil, em Janeiro do ano seguinte (risos). Queria muito saber por onde ele andou!

5- Compras online

Muito diferente do Royal Mail, abuse das compras online, chega a ser mágico o como tudo chega tão rápido na sua casa. As transportadoras são super ágeis, vem tudo certinho.

Dois dias antes de voltar ao Brasil eu resolvi fazer minha mala e obviamente não coube tudo nas 3 que havia separado. Então, me deram a brilhante ideia de comprar sacos para embalar a vácuo. Mas eu iria embora em 2 dias e todos os sites pediam 5 para entrega.

Enfim, arrisquei, comprei por volta de 22h, e no dia seguinte às 12h estava na porta de casa. Salva pela Amazon!

Esse é só um exemplo, mas eu nunca esperei mais de 2 dias por algo que comprei online.

6- Você não vai passar fome

Existe uma história que a comida na Inglaterra é ruim e tudo é muito caro. Até certo ponto isso é verdade!
Se você simplesmente aceitar isso, vai gastar muito e ainda comer mal, mas como em qualquer lugar do mundo, se você procurar vai encontrar coisas boas e baratas.

Nunca soube cozinhar e sempre odiei, mas lá eu tive que aprender na marra! Cansei de ligar para minha mãe no Skype pedindo para ela me ensinar a fazer certas comidas. Como o inesquecível dia que liguei para aprender como se fazia creme de milho (uma das minhas comidas preferidas) e no meio da receita descobri que não havia um liquidificador na casa.

Eu comprava todos os alimentos no Tesco (mercado mais conhecido de lá), ele é bem barato, em uma compra para 2 semanas  gastava 40 pounds (a libra era R$ 2,60 na época, saudades). Um pacote de macarrão custava 20 cents, comidas congeladas, tipo Sadia, custavam por volta de 2,50. E para tudo, a água custava 0,2 cents (SIMMMM 2 CENTACOS POR 2 LITROS :O), uma amiga que morava comigo sempre falava que aquela água devia ser água da chuva e por isso era tão barata hahaha.
Com o tempo você vai descobrindo os lugares, principalmente os que tem promoção de pizza a 4 pounds de quinta feira que passa a ser o grande dia da pizza (e ai você come mal mas come gostoso).

7- Londres e suas lindas rotasViaje

Londres é o point da Europa, saem inúmeros ônibus, trens e voos de lá. Se seu intuito é, além do intercâmbio, também viajar (assim como foi o meu desde o início) é lá que você deve ficar. A cidade proporciona uma porção de horários o que ajuda a char os voos com bons preços.

Não tenha medo, viaje, mesmo que esteja sozinho.

Melhorei muito o meu inglês viajando pela Europa. Seja pedindo informação na rua ou conhecendo pessoas novas em hostel.

Um conselho de amiga: Não fique naquela vidinha, escola – casa, você deixa de conhecer pessoas e acaba se confinando.

Confissão: Não fui nenhuma sexta-feira para aula. Contei as minhas faltas e estava tudo certo, daria para viajar toda quinta de noite e voltar na madrugada de domingo para segunda.

Ryanair, Easyjet e hostels.com viraram meus sites preferidos. Para você ter uma pequena noção:

 

  • Passagens a 30 euros para ir e voltar para Dublin, 8 euros de Barcelona a Milão.
  • Hostel em Praga por $1 euro a 1ª noite, $10 euros a 2ª com café da manhã.

 

Como você pode ver, não é caro viajar, basta procurar bem.
É uma experiência incrível, a que eu guardo com mais carinho de todo meu intercâmbio e a que definitivamente me deu histórias para contar até hoje.

8 – Cultura

Na Inglaterra a cultura é muito valorizada, existem inúmeros museus, galerias, mostras, etc.

Tem uma até uma estação no metrô em que ao sair você pega o famoso “corredor dos museus”, que ganhou esse apelido pois são bem próximos uns aos outros.
Dica: Certo dia da semana (se não me engano de quarta-feira) quase todos eles ficam abertos de graça. Pouca gente sabe disso mas é um bom dia para visitar os que tem interesse.
E isso não é só em Londres, acontece por toda Inglaterra. Existem muitos festivais ao longo do ano e eventos específicos voltados a cultura.

Um que eu achei bem interessante foi o final de semana (que acontece 1 vez por ano) em que a Universidade de Oxford abriu as portas de todas as escolas para visitação*.

pulga4

* Muita gente acha que Oxford é uma universidade em um prédio só, mas a universidade tem escolas espalhadas pela cidade inteira. Ou seja, não pergunte onde fica a Universidade de Oxford pois os ingleses vão te perguntar qual delas. Confira o mapa mostrando cada unidade, aqui.

9- Educação

Os ingleses são extremamente educados e te agradecem por tudo. Na primeira semana eu reparei que quando as pessoas saíam do ônibus sempre diziam: “cheers mate”.

E então a minha diversão foi começar a falar isso para agradecer o motorista. Minha amiga se matava de rir que eu aguardava ansiosamente chegar o nosso ponto apenas para eu descer toda feliz e dizer ao motorista: cheers mate.

Um professor meu contou que antes de chegarmos, ele teve um aluno (não lembro de que país) que perguntou para ele: ”Todos os motoristas de ônibus chamam Matt por aqui?”

Meu professor: Oi? Da onde você tirou isso?
Aluno: porque sempre que as pessoas saem do ônibus falam “cheers Matt

Nem preciso comentar que a sala veio abaixo, né? E o professor tentando explicar o que era “mate”: Tipo “buddy” do inglês americano e não “Matt”, nome de pessoa. Caímos todos na risada.

10- Inglês americano

Muito cuidado com certas palavras, os ingleses são educados mas existem coisas que eles não perdoam.

Muitos brasileiros aprendem inglês americano e quando chegam lá vão com palavras e sotaques que aprenderam por aqui.

Os ingleses quase sempre te corrigem e falam: ah, isso é americano, aqui não é assim. Ou depois de pedirem pra repetir algumas vezes falam: ah tá você está falando do jeito americano por isso que não entendia (acho que eles entendem sempre, mas te corrigem pois não gostam de pessoas falando um inglês diferente do deles).

Um exemplo muito engraçado que uma amiga me contou é que ela estava com outra amiga que havia derrubado café na calça e foi até a Primark (loja bem baratinha da Inglaterra, com blusas de 1 pound) e falou para a vendedora da loja que precisava de uma calça pois havia molhado a dela com a seguinte frase: “I need to buy a pair of pants because I spilled coffee on the one that I am wearing”

E a moça se matava de rir, explicou que diferente do inglês americano pants não é calça, e sim calcinha. Lá calças são chamadas de Trousers.

Ou seja, ela estava pedindo por uma calcinha ao invés de uma calça.

Esse foi um caso engraçado mas existem certas palavras que são palavrões na Inglaterra, como o Can’t que deve-se ter muito cuidado na pronúncia e pronunciar como se tivesse uma batata na boca como eles, caso contrário você estará falando um belo palavrão (que deixarei de lição de casa para vocês procurarem).

11- Muito cuidado com o número dois

Não, não é o número 2 que você está pensando (risos). É o gesto do número dois na mão.

Para os Ingleses mostrar o 2 com o dorso da mão virado para eles é igual nosso famoso sinal do dedo do meio.


pulga5

(não faça isso)

Isso porque durante a Guerra dos 100 Anos os inimigos pegavam os ingleses e cortavam os indicadores fora para que não pudessem mais usar o arco e flecha. Após isso mostravam os dedos para mostrar que ainda os tinham intactos e assim satirizar os ingleses. Essa cultura manteve-se.

Então muito cuidado ao pedir dois pints de Guinness a um garçom. Sempre mostre com a palma da mão para frente ou usando o dedão e indicador (formando um L).

😀

* Escrito por: Thais Olivares

Veja também:

6 Comentários

  1. Ronaldosays:

    Mais uma patricinha brasileira e passa alguns meses estudando lá e acha q conhece o lugar..rs

    • Marianasays:

      Você conhece a Thais? Sabe se ela é patricinha mesmo ou não? E que propriedade você tem sobre uma das cidades mais turísticas do mundo? Só porque você também conhece ou já morou lá por mais tempo, não te dá propriedade sobre o assunto acima de outras pessoas. Cada um tem seu jeito de conhecer a cidade, cada um tem suas impressões e cada um tem a sua experiência! Esse é um site pra troca de opiniões e experiências, de dicas, de boas notícias. Não é um Wikipedia da vida contando fatos absolutamente verdadeiros sobre um lugar. Se você conhece tanto assim sobre Londres, por que você mesmo não toma iniciativa e escreve um texto tão legal e informativo como esse? Mais paz, amigo! Mais cabeça a aberta! O mundo agradece.

    • Thaissays:

      Por isso que o título é: 11 coisas que APRENDI
      e não: 11 verdade absolutas….

      Foram as minhas impressões, cada um pode viver experiências diferentes lá, mesmo porque o país é bem grande, a cultura entre as cidades já é bem diferente

  2. Raianesays:

    Olá! Adorei o texto, Thais! Eu estou planejando ir para Londres e gostaria de saber um pouco de como foi o seu planejamento, a experiência durante a chegada, se teve alguma dor de cabeça com relação à documentação, pesquisa de passagens, enfim, muitas dúvidas, desculpa haha. Agradeço desde já (:

  3. Prof. Neressays:

    Não ligue p/ isso, Thais. Uma pena, mas existem muitas pessoas que, diferentes dos ingleses, perdem a oportunidade de ficarem na sua… Parabéns! Seu texto está muito bom e tenho certeza que traz informações preciosas a muitas pessoas. Não pare!

Deixe um comentário

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked